logo_bco.png

HORÁRIOS

Segunda à sexta:

08:00 - 12:00

13:30 - 17:30

ITAJAÍ

R. Leonardo Teto, 190

Bairro Fazenda        

               (47) 3083-4155

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Al. Delfim de Pádua Peixoto Filho,  nº440 - Bairro Municípios

               (47) 3366-3155

PSICOPEDAGOGIA

A especialidade da psicopedagogia envolve o processo de aprendizagem e suas dificuldades, tendo, portanto, um caráter preventivo e terapêutico. Preventivamente deve atuar não só no âmbito escolar, mas alcançar a família e a comunidade, esclarecendo sobre as diferentes etapas do desenvolvimento. Terapeuticamente a psicopedagogia identifica, analisa, planeja e intervém para contribuir com a aprendizagem e a escolarização de seus usuários. Os atendimentos psicopedagógicos são pautados em conhecimentos científicos que enfatizam a estimulação das funções cognitivas, o letramento e a alfabetização.

A alfabetização pode ser caracterizada pelo processo de ensino e aprendizagem de um sistema linguístico e da forma como usá-lo para se comunicar com a sociedade, ou seja, para que o indivíduo seja capaz de codificar e decodificar as palavras de uma forma mais lógica e compreensível. O principal norteador das intervenções voltadas a alfabetização é a consciência fonológica, pois esta é uma habilidade cognitiva fundamental para a compreensão e a aquisição da leitura e escrita. Dessa forma, o trabalho da psicopedagogia acontece de maneira interdisciplinar com a fonoaudiologia.

Compreendemos que o letramento é uma das etapas fundamentais no processo de aprendizagem, pois engloba o uso competente da leitura e escrita nas práticas sociais, além de contribuir nas questões de comunicação, pensamento lógico e crítico, facilitando a percepção e compreensão de mundo. Como instrumento desse letramento, o método da Panlexia também se faz presente nas terapias, pois esta abordagem prioriza a consciência fonológica e utiliza técnicas de codificação e decodificação.

Após a capacitação da equipe da Amor pra Down no Método dos Dedinhos, no início de 2018, foram incluídas estratégias para utilizá-lo como instrumento terapêutico. O intuito é auxiliar no desenvolvimento de leitura e escrita de nossos usuários, a partir de protocolos de avaliação, gestos específicos para cada fonema e para os elementos de conexão da língua portuguesa, justamente com cartas específicas que funcionam como apoio visual para facilitar o resgate cognitivo e execução do grafema.

Na alfabetização matemática, são proporcionadas vivências com materiais concretos, com o intuito de subsidiar o pensamento abstrato, bem como favorecer o desenvolvimento do raciocínio lógico, organização do pensamento e aprimoramento do pensamento dedutivo, elementos necessários para a compreensão e resolução de problemas matemáticos e do dia a dia.

Nas intervenções psicopedagógicas são realizadas diversas atividades, com o objetivo de identificar a melhor forma de se aprender. Para isso, o psicopedagogo utiliza-se de recursos como jogos, desenhos, brinquedos, brincadeiras, músicas, atividades sensoriais, histórias, computador e outras estratégias que forem oportunas para a efetivação do aprendizado. Neste sentido, acredita-se que é por meio do universo lúdico que a criança desenvolve, interage, aprende a ter limites, aprende a ganhar e perder, desenvolve o raciocínio, adquire maior atenção, aprende a se concentrar  e aprimora suas funções psicológicas superiores e seus aspectos emocionais, sociais e intelectuais.

 

Acompanhamento da etapa escolar

Consiste no acompanhamento dos usuários matriculados no ensino regular, visando a qualidade de sua participação escolar por meio de orientações a gestores, professores, monitores e/ou professores de apoio e de Atendimento Educacional Especializado, bem como a troca de experiências e informações sobre o processo de ensino e aprendizagem dos mesmos. Nestes momentos, as psicopedagogas juntamente com a coordenação e supervisão ou demais profissionais da equipe podem orientar a comunidade escolar e principalmente, auxiliá-los na melhor forma de avaliação, planejamento e ensino.

A demanda da visita pode partir da equipe técnica, da família ou da própria escola. No entanto, no início de cada ano, a equipe se organiza para visitar as escolas, porém também estimula que os próprios professores visitem nossa entidade, para despertar o interesse de trocar informações com a equipe e conhecer as atividades realizadas.

As visitas devem ser agendadas, priorizando a participação dos professores que trabalham diretamente com o usuário, pois são estes os principais interessados e responsáveis pelo processo de ensino e aprendizagem.

CONTATO

DEIXE SUA MENSAGEM

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube